Quarta-Feira, 8 de Julho de 2020
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
A Embrapa | Página Inicial | Ouvidoria | Mapa do Site | English | Portugus | A- A+
A ausência de monitoramento e controle da condição do pasto e da produção de forragem na propriedade agropecuária tem sido uma das causas do manejo deficiente e da obtenção de índices sofríveis de produtividade. Produtor e técnicos devem adotar métodos de estimativa da massa de forragem para melhor gerenciarem o sistema produtivo.
 
Uma vez estimada a massa de forragem, outras variáveis como taxa de acúmulo de massa seca, taxa de lotação, desempenho e produtividade animal podem ser determinadas.
 
Além disso, a quantificação correta fornece indicações constantes sobre a utilização da forragem produzida ou dos níveis de perdas, fatores fundamentais na determinação da produtividade de sistemas agropecuários. A estimativa e o monitoramento das variações em massa de forragem têm papel importante na organização e racionalização do manejo do sistema.
 
Neste contexto, técnicas eficientes que permitam estimativas rápidas e precisas de massa de forragem nas pastagens são ferramentas essenciais para o uso adequado dos recursos forrageiros existentes. Entretanto, existem algumas dificuldades para realizar essas medidas. Entre elas, a variabilidade da vegetação tem sido apontada como um dos principais fatores nas pesquisas com pastagens, tornando a avaliação da massa forrageira uma técnica difícil, que requer adequados procedimentos de amostragem para obter melhores resultados.
 
O trabalho do Comitê de Pastagens junto ao projeto Pecus é levantar e abordar os principais fatores relacionados à estimativa da massa de forragem da pastagem e sua relação com outras variáveis de interesse da exploração pecuária em pasto, considerando a homogeneidade ou heterogeneidade da área, o grau de precisão das amostragens, a facilidade e disponibilidade de tempo, a condição da pastagem e outros fatores que possam auxiliar no conhecimento da área e posterior escolha do método de amostragem.
 
Dependendo dos objetivos propostos em determinada linha de pesquisa, as variáveis a serem estimadas podem ser consideradas:
1ª) imprescindíveis: massa de forragem, taxa de acúmulo, produção total de forragem, composição botânica, desempenho animal e produtividade animal;
2ª) muito recomendáveis: altura do pasto, amostragem qualitativa; características dos componentes morfológicos, consumo de forragem e massa de raízes;
3º) recomendáveis: composição botânica e morfológica da dieta, distribuição das atividades comportamentais (ingestão e excreção).
Voltar